Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia

Dissertações Defendidas - 2017

Título: Regulação epigenética de ratos expostos à fumaça de cigarro e tratados com resveratrol
Autor(a): Aladim Gomes Lameira Júnior
Orientador(a): Denise Carleto Andia
Data da defesa: 13/01/2017
Resumo: A pesquisa objetivou avaliar os padrões de expressão dos genes da maquinaria epigenética, metabolismo ósseo sob a fumaça de cigarro e a ingestão de resveratrol e observar se eles foram capazes de desencadear alterações nos níveis de metilação / hidroximetilação do gene RANKL. Materiais e Métodos: As amostras de osso de calvária foram coletadas de ratos distribuídos nos seguintes grupos: não expostos à fumaça de cigarro (n = 15), expostos à fumaça de cigarro (n = 15) tratados com resveratrol / expostos à fumaça de cigarro (n = 15), 30 dias após defeitos foram criados. A expressão do gene da sirtuin (SIRT) 1, receptor aril-hidrocarboneto (Ahr), ligante do receptor ativador do fator nuclear kappa-B (RANKL), fosfatase ácida resistente ao tartarato (TRAP), DNA metiltransferases (DNMTs) 1 / 3A / 3B, enzimas Ten-Eleven Translocation (TET) 1/2/3 e RANKL metilação / hidroximetilação, precedido por glicosilação de 5-hidroximetilcitosina e as enzimas de restrição de digestão foram quantificados por meio de reação em cadeia da polimerase-quantitativa em tempo real. Resultados: Diferentes padrões foram observados entre ratos expostos à fumaça do cigarro e os expostos à fumaça e tratados com resveratrol. Foram observadas semelhanças entre o grupo de ratos expostos à fumaça do cigarro tratados com resveratrol e os não expostos. Nos ratos expostos à fumaça do cigarro observou-se um aumento significativo nos níveis de mRNA para TET2 / 3, RANKL e TRAP; os níveis de expressão DNMT3A / 3B aumentar após a ingestão de resveratrol, sem diferença estatística. Houve uma diminuição nos níveis de metilação do gene RANKL, no grupo de ratos expostos ao cigarro, porém um aumento da metilação do gene RANKL para ratos expostos ao cigarro e tratados com resveratrol, sem diferença estatística; modulação não foi observada nos níveis hidroximetilação. Conclusões: De forma antagônica, os resultados apontam que a fumaça do cigarro e o resveratrol modulam os padrões da expressão de enzimas da maquinaria epigenética e o metabolismo ósseo. Também são antagônicos ao serem capazes de desencadear alterações no padrão de metilação do gene RANKL. Os resultados chamam a atenção para o resveratrol como um modulador biológico para CS em ratos.

Palavras-chave: Epigenoma; Metilcitosina Dioxigenase; Osso; Expressão Gênica; Ratos.
Área de Concentração: Clínica Odontológica
Linha de Pesquisa: Diagnóstico das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Biologia da diferenciação e transformação celulares: modulação por fatores endógenos e exógenos.


Título: Avaliação da expressão gênica de marcadores ósseos em pacientes com periodontite agressiva generalizada
Autor(a): Daniel Freire Gallafassi
Orientador(a): Suzana Peres Pimentel
Data da defesa: 31/01/2017
Resumo: A periodontite agressiva generalizada (PAG) é uma doença multifatorial que se caracteriza pela rápida destruição dos tecidos periodontais em pessoas mais jovens e sistemicamente saudáveis; além disso, a presença dessa doença é um fator de risco para falha de implantes osseointegrados. Embora haja muito conhecimento na literatura, ainda não é claro o efeito da PAG no osso alveolar em relação à expressão gênica de marcadores ósseos. Desta forma, o objetivo do presente estudo clínico, laboratorial, controlado e aleatorizado é avaliar a expressão gênica de marcadores ósseos no tecido ósseo de indivíduos com periodontite agressiva generalizada. Foram selecionados 16 indivíduos com periodontite agressiva generalizada, em fase de terapia periodontal de suporte (GAP), e 17 indivíduos com saúde periodontal (PH). Nesses pacientes, foram coletadas amostras de tecido ósseo da região posterior da mandíbula. Esses tecidos foram armazenados e submetidos à análise da expressão gênica de TNF-α, TGF-β, RANKL, OPG, OC, BSP e colágeno tipo I, importantes marcadores de osteogênese e osteoclasia, e avaliados por meio de PCR Tempo Real. Foram observados maiores níveis de mRNA para TGF- β e OPG no grupo PH quando comparado ao grupo GAP (p<0.05). Não houve diferença estatística entre os grupos em relação à expressão de TNF-α, BSP, RANKL, OC e COL-I. Estes resultados corroboram a hipótese de que a PAG possa modular a expressão gênica dos marcadores relacionados ao osso.

Palavras-chave: Periodontite Agressiva Generalizada; Expressão Gênica; Enxerto Ósseo.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Cirurgia Bucomaxilofacial
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Esquemas Terapêuticos e Curativos Propostos e Preconizados no Tratamento das Doenças Bucais


Título: Efeito da Low-Level Laser Therapy na expressão gênica de TRPA1 e TRPM8 em ratos com hipersensibilidade dentinária
Autor(a): Fernanda Kabadayan Dias
Orientador(a): Cintia Helena Coury Saraceni
Data da defesa: 13/02/2017
Resumo: O objetivo geral deste estudo foi analisar a expressão gênica de TRPA1 e TRPM8 em ratos com hipersensibilidade dentinária (HD), bem como o efeito do tratamento com Low-level laser therapy (LLLT) sobre a expressão desses genes. O estudo foi dividido em duas partes.
Parte 1: O objetivo desta etapa foi avaliar a relação entre a HD e a expressão de TRPA1 e TRPM8, em ratos, por meio de PCR real time. Foram utilizados 40 ratos, Wistar, machos, adultos (n total = 40), divididos aleatoriamente em dois grupos, que receberam os seguintes tratamentos por 30 dias: GC (água filtrada, n = 20) e GH (bebida ácida, ad libitum para indução de HD -n= 20). A superfície vestibular dos molares inferiores direitos foi periodicamente estimulada com água a 15 graus, por 5 segundos, nos dias 15, 22, 24, 26, 28 e 30 de tratamento. O grau de dor recebeu os escores de 0 a 3. Após a eutanásia, os elementos dentais do lado direito foram seccionados na altura da junção cemento esmalte e as coroas dentais foram armazenadas em solução estabilizadora de RNA (RNAlater) até o momento de sua manipulação, quando foi realizada a extração de RNA total e a síntese do cDNA. Os primers para GAPDH (gene de referência), TRPA1 e TRPM8 foram desenhados e a quantificação dos genes foi realizada por meio de RT-PCR. Para a confirmação da exposição tubular, as porções coronárias dos molares esquerdos dos dois grupos foram preparadas para análise em microscópio eletrônico de varredura. As análises estatísticas foram (p < 0,05): dor ao longo do tempo: teste de Friedman; escore de dor entre os grupos, dentro de cada tempo: teste de Mann-Whitney; comparação da expressão gênica em relação aos diferentes grupos: Teste de Mann-Whitney; relação entre os TRPs A1 e M8: correlação de Pearson; relação grau de dor e expressão gênica nos diferentes grupos: correlação de Spearman. Para a variável dor, os resultados demonstraram que houve um aumento significante no grau de dor para o GH enquanto que não houve diferença ao longo do tempo para o GC. As imagens em MEV apresentaram em GH, exposição de túbulos compatível com o grau de dor, enquanto GC apresentou camada de smear layer e túbulos obliterados. Para a variável TRP, verificou-se um aumento estatisticamente significante na expressão gênica de TRPA1 e TRPM8 em GH quando comparado com GC. A partir dos resultados, pôde-se concluir que a hipersensibilidade dentinária é capaz de alterar a expressão gênica desses receptores.
Parte 2: O objetivo desta etapa foi avaliar o efeito da fotobiomodulação nos genes TRPA1 e TRPM8 em ratos com HD, tratados com LLLT. Foram utilizados 38 ratos, Wistar, machos (n total = 38), divididos aleatoriamente em 4 grupos que receberam por 30 dias os seguintes tratamentos: GC - Grupo Controle (mandíbula direita, n = 19): água filtrada; GL - Grupo Laser (mandíbula esquerda, n = 19): água filtrada + LLLT; GH - Grupo Hipersensibilidade (mandíbula direita, n = 19): bebida ácida, ad libitum, para indução de HD; GHL - Grupo hipersensibilidade  laser (mandíbula esquerda, n = 19): bebida ácida + LLLT. Os grupos GL e GHL receberam irradiação com Laser de ArGaAl (780-830nm  - E = 0.5J; t = 7s; D = 18J/cm2; P = 70mW.), no molar inferior esquerdo, aos dias 24, 26 e 28 de tratamento. A superfície vestibular dos molares inferiores foi periodicamente estimulada com água a 15 graus, por 5 segundos, seguido de teste de dor, realizado nos dias 15, 22, 24, 26, 28 e 30. Nos dias em que houve LLLT (24, 26 e 28), foram realizados testes em baseline e imediato. Após a eutanásia, os elementos dentais foram armazenados em solução estabilizadora de RNA (RNAlater) até o momento de sua manipulação, quando foi realizada a extração de RNA total e a síntese do cDNA. Os primers para GAPDH, TRPA1 e TRPM8 foram desenhados e a quantificação dos genes foi realizada por meio de RT-PCR. Análises estatísticas (p < 0,05): grau de dor ao longo do tempo: teste de Friedman; comparação intragrupos, dentro de cada tempo e comparação dos lados (GL e GHL): Wilcoxon; comparação intergrupos: Mann-Whitney; comparação da expressão gênica em relação aos diferentes grupos (GC e GH): Mann-Whitney. Os animais com HD apresentaram escores elevados de dor em comparação aos grupos água. O lado irradiado (GHL) apresentou menores escores quando comparado ao lado não irradiado (GH) no imediato, tanto no 24º dia (p=0,014) quanto no 26º (p=0,002). A partir do 28º dia, o GHL apresentou menores valores de dor em ambos os tempos (baseline e imediato). Foram verificados maiores níveis na expressão de ambos os receptores nos grupos com HD (GH e GHL), independente da irradiação. Concluiu-se que o laser foi eficaz na redução da dor, mas não modulou a expressão gênica dos TRP’s A1 e M8, não sendo possível estabelecer uma correlação entre a diminuição da dor e a expressão dos TRPs.

Palavras-chave: TRPA1; TRPM8; LLLT; Hipersensibilidade Dentinária.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Dentística
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Aplicação do Laser na Área da Saúde


Título: Avaliação dos tecidos moles e duros peri-implantares após instalação de implantes imediatos com e sem preservação alveolar
Autor(a): Felipe Fonseca Girlanda
Orientador(a): Fabiano Ribeiro Cirano
Data da defesa: 07/03/2017
Resumo: O objetivo do estudo foi avaliar os tecidos moles e duros peri-implantares após a instalação de implantes imediatos com e sem preservação alveolar. A amostra consistiu em 22 pacientes, selecionados com critérios de inclusão e exclusão da pesquisa, sendo divididos em grupo Teste (exodontia, implante imediato, provisório imediato e biomaterial – Bio-Oss colágeno) e grupo Controle (exodontia, implante imediato e provisório imediato). Os pacientes foram avaliados no baseline, 3 e 6 meses, para mensuração de tecidos moles por meio de um guia (vestibular, mesiovestibular e distovestibular), e no baseline e 6 meses, por meio de tomografia computadorizada cone beam, para a avaliação dos tecidos duros. Os resultados relacionados à perda de tecido mole, nas faces mesiovestibular e distovestibular, demonstraram uma perda significativa no grupo controle, nos tempos de 3 e 6 meses, quando comparado ao grupo teste (p<0.05), mas não houve diferença estatisticamente significante entre os tempos (p>0.05). Na face vestibular, não houve diferença de valores em relação aos grupos e tempos (p>0.05). Em relação ao tecido duro, houve uma perda significativa da distância entre a tábua óssea vestibular e a tábua ósseo palatina no grupo controle, quando comparado ao grupo teste (p<0.05). O estudo permitiu concluir que a instalação imediata de implantes com preservação alveolar, utilizando biomateriais no espaço entre a tabua óssea vestibular e a plataforma do implante, foi mais efetiva em minimizar as perdas de tecido mole nas regiões interproximais e em preservar a arquitetura do tecido ósseo vestíbulo lingual.

Palavras-chave: Implantes Imediatos; Preservação Alveolar; Biomateriais; Tomografia Computadorizada Cone Beam.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Periodontia
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Esquemas Terapêuticos e Curativos Propostos e Preconizados no Tratamento das Doenças Bucais


Título: Efeito de tratamentos de superfície da zircônia Y-TZP na resistência à tração a uma cerâmica de recobrimento
Autor(a): Juliana Sabino Lisboa
Orientador(a): Alfredo Mikail Melo Mesquita
Data da defesa: 20/03/2017
Resumo: Estado do problema. A zircônia é um material cerâmico utilizado como infraestrutura em reabilitações protéticas, porém há relatos de fratura da cerâmica de recobrimento. Tratamentos de superfície na zircônia são propostos em diversos estudos para que haja melhora nessa união. Proposição. O objetivo deste estudo in vitro foi avaliar a resistência à fratura entre uma cerâmica fluorapatita manufaturada por injeção e uma cerâmica de zircônia (Y-TZP), ante diferentes tratamentos de superfície. Material e métodos. Foram preparadas 60 bases em zircônia (VIPI BLOCK®) em forma de tronco de cone com 3 mm de diâmetro na base menor, 5 mm na base maior e 5 mm de altura, fabricadas por sistema CAD/CAM. Estas bases foram divididas, aleatoriamente, em 6 grupos (n=10): Grupo C (Controle); Grupo SB (Jateamento com Al2O3 50 µm); Grupo L (liner); Grupo Nd (laser Nd:YAG); Grupo NdSB (Nd:YAG+Jateamento Al2O3 50 µm) e Grupo NdL (Nd:YAG+liner). Após o tratamento de superfície da zircônia, foi injetada cerâmica fluorapatita de recobrimento estético (IPS e.max ZirPress®), conformando espécimes em forma de ampulheta que  se submeteram ao teste de tração, em máquina de ensaio universal. Os dados de ruptura foram submetidos ao teste de Shapiro- Wilk e à análise de variância (ANOVA 1-fator), seguido do teste de comparações múltiplas, Tukey, com p≤ 0,05. Amostras representativas de cada grupo foram analisadas no MEV e EDS. Resultados. O teste de Shapiro-Wilk apresentou normalidade em todos os grupos. A análise de variância (ANOVA 1-fator) indicou diferença estatística significante entre os grupos, com p=0,0001. As médias (MPa) e desvio padrão foram, respectivamente, para os grupos: C (336,67±77,33); SB (570,59±127,95); L (499,35±155,40); Nd (534,50±100,61); NdSB (341,02±75,01) e NdL (367,87±119,49). O teste de Tukey indicou que o grupo SB apresentou os maiores valores de resistência à tração, sendo semelhante estatisticamente aos grupos L e Nd. O padrão de fratura apresentado nos grupos experimentais revelou fratura coesiva na cerâmica de recobrimento, exceto no grupo controle que prevaleceu o padrão de fratura mista. Conclusões. Foi confirmada a hipótese de que tratamentos na superfície da zircônia, previamente à injeção de fluorapatita, influenciaram no aumento da resistência à tração. O jateamento com Al2O3 50 µm e a irradiação com laser de Nd:YAG, sozinhos, promoveram melhores resultados. As associações de tratamento não foram eficientes, evidenciando que o jateamento com Al2O3 50 µm parece um tratamento de superfície adequado, pois é um procedimento laboratorial simples e não promove danos à zircônia.

Palavras-chave: Zircônia; Laser; Cerâmica Fluorapatita; Tratamento de Superfície; Teste de Tração.
Área de Concentração: Clínica Odontológica – Prótese
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Pesquisa em Biomateriais Odontológicos


Título: Avaliação clínica do tratamento do deslocamento anterior do disco articular da ATM, pela técnica de discopexia artroscópica com sutura em dois pontos.
Autor(a): José Roberto Piteri Filho
Orientador(a): Luciano Lauria Dib
Data da defesa: 08/05/2017
Resumo: A pesquisa objetivou avaliar o resultado do tratamento de DTM pela da técnica de discopexia artroscópica com fixação em dois pontos do disco articular da ATM por meio de dados pertinentes à sintomatologia clínica dolorosa, à máxima abertura bucal e à presença de ruídos articulares. Material e métodos: Prontuários de pacientes portadores de DTM com deslocamento anterior do disco articular, que foram submetidos a essa técnica. Os dados foram coletados a partir de fichas previamente confeccionadas para obter as informações, que foram aplicadas 1 dia antes da cirurgia, 7 dias, 30 dias e 180 dias de pós-operatório. Resultados: Total de 45 pacientes (60 ATMs), com idade média de 28 anos (desvio padrão 8,6), sendo 36 (80%) do gênero feminino e 9 (20%) do gênero masculino. Houve melhora média de 8 pontos da escala visual analógica (EVA 0-10) para dor (EVA 0±1,5) e de 6mm para máxima abertura bucal (MAB39mm±6,1). A ausência de ruídos articulares subiu de 17,7% para 82,2%. Conclusão: Durante o período de acompanhamento de seis meses pós-operatório, a discopexia artroscópica, com fixação em dois pontos do disco articular no tratamento de pacientes com distúrbios internos e sintomáticos da ATM, mostrou-se efetiva para melhora de dor, máxima abertura bucal e ruídos articulares. Não houve diferença estatística para os resultados em relação aos estágios de Wilkes.

Palavras-chave: Artroscopia, Discopexia, Disfunção Temporomandibular
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Cirurgia Buco-Maxilo-Facial
Linha de Pesquisa: Prevenção e Tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Esquemas Terapêuticos e Curativos Propostos e Preconizados no Tratamento das Doenças Bucais


Título: Avaliação de alterações condilares após cirurgia ortognática, por meio de processamento digital de imagens
Autor(a): Livia Eisler Pompéia
Orientador(a): Kurt Faltin Júnior
Data da defesa: 14/08/2017
Resumo: O tratamento de certas más-oclusões na prática ortodôntica pode ser extremamente desafiador devido à sua etiologia multifatorial e alta taxa de recidiva, ainda que o tratamento de escolha seja cirúrgico. Com o intuito de propagar um método de diagnóstico simples e economicamente viável entre os ortodontistas e cirurgiões ortognáticos, desenvolvemos um protocolo de processamento e análise de imagens que objetiva otimizar o diagnóstico precoce para alterações condilares, minimizando a possibilidade de retratamentos ortodônticos e ortocirúrgicos. A técnica pode ser executada em imagens digitais ou digitalizadas e mostrou excelente reprodutibilidade, por ser pouco operador-dependente. O protocolo proposto foi empregado em 20 pares de imagens cefalométricas laterais obtidas antes e 1 ano após cirurgia ortognática. As imagens foram analisadas por meio de um software de processamento de imagens e seus plug-ins. Uma região de interesse (ROI) foi selecionada no corpo do côndilo para cada imagem pré-operatória e replicada para a imagem pós-operatória. Cada ROI foi analisada em contraste com uma região-controle (CR) próximo ao ângulo da mandíbula para todas as imagens, comparando-se a intensidade de pixels da área estudada. Também foram selecionados seis pontos de interesse (POI) ao longo do contorno condilar e, após sua replicação para o par de imagem correspondente, pudemos medir o deslocamento dos pontos. De acordo com a análise estatística, houve relação entre redução nos indicadores de volume condilar e sexo. O contorno condilar sofreu alterações de 2,32 mm em média (DP= 0,95 mm). Concluímos que o uso de uma tecnologia simples e economicamente viável para aprimoramento de diagnóstico possibilita que sejam identificadas pequenas alterações na densidade óssea condilar, nem sempre identificáveis a olho nu.

Palavras-chave: Processamento de imagem assistida por computador; Cirurgia ortognática; Reabsorção óssea. 
Área de Concentração: Clínica Odontológica – Ortodontia
Linha de Pesquisa: Alterações dentofaciais: diagnóstico, prevenção e tratamento
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Imaginologia aplicada à Odontologia


Título: Avaliação do conhecimento sobre câncer de boca: comparação entre cirurgiões-dentistas recém-formados e com mais de 30 anos de formação
Autor(a): Gisele Pavão Spaulonci
Orientador(a): Luciano Lauria Dib
Data da defesa: 25/08/2017
Resumo: O presente estudo avaliou o nível de conhecimento sobre o câncer bucal dos cirurgiões-dentistas da cidade de São Paulo, por meio de um questionário, e comparou o nível de conhecimento obtido entre os profissionais recém-formados e os graduados há mais de 30 anos. Foram enviados 25.321 e-mails aos cirurgiões-dentistas cadastrados no banco de dados do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, dos quais, 20.154 e-mails foram corretamente entregues. Destes, 477 responderam à pesquisa, representando uma taxa de resposta de 2,36%. Desta amostra, foram comparados os 84 profissionais recém-formados (zero a cinco anos), com os 105 dentistas com mais de 30 anos de formação, utilizando-se o teste do qui-quadrado e adotando-se α=0,05. Finalmente, a regressão logística foi realizada e os resultados foram descritos. Os resultados, segundo o nível de conhecimento, foram estatisticamente diferentes entre os grupos, sendo que 19% dos recém-formados obtiveram conceito A (ótimo), contra 6,7% dos graduados há mais de 30 anos. A despeito de ter havido diferença estatística entre os grupos de profissionais estudados, demonstrando que dentistas recém-formados apresentam nível de conhecimento 2,1 vezes superior (OR=2,1, 1,1 - 3,9 95% CI, p=0,024), verificou-se que 34,5% dos profissionais deste grupo têm nível de conhecimento regular ou insuficiente (C e D). Além disso, várias questões que abordam informações específicas em relação às características clínicas e de fatores de risco do câncer mostram que ainda há lacunas no conhecimento, mesmo entre os profissionais mais jovens. Por isso, ainda há um grande espaço para novos trabalhos na área e atividades de informação sobre o câncer de boca.

Palavras-chave: Conhecimento; Câncer Bucal; Dentistas; Tempo de Experiência.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Diagnóstico Bucal - Semiologia
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Esquemas terapêuticos e curativos propostos e preconizados no tratamento das doenças bucais


Título: Comparação dos valores cefalométricos propostos por McNamara Jr. com os obtidos em uma amostra de brasileiros, de acordo com os tipos faciais
Autor(a): Walderez Thomé Testa
Orientador(a): Kurt Faltin Júnior
Data da defesa: 30/08/2017
Resumo: O planejamento do tratamento Ortopédico Facial e Ortodôntico demanda diagnóstico preciso, a fim de que se alcancem os melhores resultados. Com o objetivo de obter dados cefalométricos mais específicos, tanto para o diagnóstico quanto para o plano de tratamento da população brasileira, foram avaliadas radiografias cefalométricas laterais de 117 indivíduos brasileiros leucodermas, na faixa etária entre 10 e 17 anos, do sexo masculino e feminino, que apresentavam oclusão normal, segundo a classificação de Angle (1899). Nenhum deles havia sido submetido anteriormente a qualquer tratamento ortodôntico. A proposta deste trabalho foi comparar as medidas cefalométricas comprimento de mandíbula, comprimento de maxila, diferença maxilomandibular e altura facial anteroinferior (AFAI), preconizadas por McNamara Jr. (1984), com as medidas obtidas na amostra estudada, para, em seguida, relacioná-las aos diferentes tipos faciais. Concluiu-se que os valores comprimento mandibular e altura facial anteroinferior, quando comparados com a tabela de proporcionalidade de bases apicais, mostraram diferença estatisticamente significante em relação aos valores preconizados por McNamara Jr.. As medidas de comprimento de maxila e mandíbula não apresentaram diferenças estatisticamente significantes quando comparadas aos diferentes tipos faciais. Porém, essas diferenças foram observadas nas medidas diferença maxilomandibular e altura facialantero inferior (AFAI).

Palavras-chave: Cefalometria; Grupos Étnicos; Dimensão Vertical; Face; Desenvolvimento Maxilofacial; Oclusão Dentária; Ortodontia.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Ortodontia
Linha de Pesquisa: Alterações dentofaciais: diagnóstico, prevenção e tratamento.
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estudos aplicados à ortodontia e ortopedia facial


Título: Impacto do tratamento de superfície do pilar intermediário de implantes do tipo Cone Morse no processo inicial de reparo ósseo. Estudo clínico, prospectivo, controlado, randomizado e de boca dividida
Autor(a): André Luis Seferian Obice
Orientador(a): Suzana Peres Pimentel
Data da defesa: 15/09/2017
Resumo: O objetivo deste estudo foi comparar prospectivamente o impacto do tratamento de superfície do pilar intermediário de implantes tipo Cone Morse no processo inicial de reparo ósseo, por meio da avaliação da liberação de marcadores relacionados à osteoblasto/vasculogênese e reparo de tecido mole no fluido peri-implantar. Para este estudo controlado, randomizado, duplo cego e de boca dividida foram selecionados 15 pacientes que necessitavam de implantes unitários em áreas posteriores de mandíbula bilateralmente. Os implantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: Usinado - implante instalado no mínimo 1mm infraósseo, com pilar intermediário convencional de superfície usinada; Tratado - implante instalado no mínimo 2mm infraósseo, com pilar intermediário com colar de 1,5mm de superfície tratada. Para a avaliação do processo inicial de reparo ósseo após a instalação do pilar intermediário foram realizadas coletas do fluido peri-implantar 3, 14 , 30 e 60 dias após a inserção dos implantes, para avaliação dos níveis de marcadores relacionados à osteoblasto/vasculogênese e formação de tecido mole: fator de crescimento epidérmico (EGF), proteína óssea morfogenética-9 (BMP-9), endotelina-1 (ET-1), fator de crescimento fibroblástico (FGF), fator de crescimento placentário (PlGF) e  fator de crescimento endotelial (VEFG) , por meio de plataforma Luminex/Magpix. Após a obtenção dos níveis de cada marcador, os dados foram submetidos à análise estatística, considerando-se o nível de significância de 5%. A análise dos resultados demonstrou diferença significativa entre os grupos, com maiores níveis de EGF, BMP-9, Endotelina-1, FGF e PlGF no grupo tratado, aos 30 dias após a instalação do implante (p<0.05). Além disso, os níveis de PlGF apresentaram-se mais elevados no grupo tratado também no tempo 60 dias (p<0.05). Na análise intragrupo, foi possível verificar diferença significativa nos níveis de endotelina-1 e FGF entre os tempos de 3 e 30 dias e entre 3 e 60 dias, no grupo tratado (p<0.05). Além disso, houve diferença nos níveis de VEFG no grupo tratado entre os dias 3 e 60 (p<0.05). Para o grupo usinado, observou-se diferença significativa nos níveis de ET-1, FGF, PlGF e VEGF entre o tempo de 3 e 60 dias (p<0.05). Adicionalmente, observou-se diferença significativa na concentração de PlGF entre os tempos de 14 e 60 dias, para o grupo usinado (p<0.05). Pode-se concluir que o tratamento de superfície do pilar com TiO2 influenciou significativamente a liberação de marcadores relacionados à formação óssea, à angiogênese e reparo tecidual durante o reparo peri-implantar inicial.

Palavras-chave: Implantes dentários; Pilar intermediário; Tratamento de superfície; Osso; Marcadores biológicos; Análise de proteínas.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Periodontia
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Esquemas terapêuticos e curativos propostos e preconizados no tratamento das doenças bucais


Título: Análise comparativa da resistência de implantes extraestreitos e estreitos de corpo único e de implantes tipo Cone Morse estreitos e convencionais
Autor(a): Henrique Túzzolo Neto
Orientador(a): Alfredo Mikail Melo Mesquita
Data da defesa: 15/09/2017
Resumo: O objetivo deste estudo foi realizar uma análise comparativa da resistência de implantes utilizando como parâmetros a norma ISO 14801, avaliando os implantes de corpo único extraestreitos, de corpo único estreitos, implantes Cone Morse estreitos e implantes Cone Morse regulares. Metodologia: foram avaliados 4 grupos com 15 implantes cada um. Grupo1: implantes extraestreitos de corpo único (Ø2,5mm); grupo 2: implantes estreitos de corpo único (Ø3,0mm); grupo 3: implantes estreitos Cone Morse com pilar sólido (Ø3,5mm); grupo 4: implantes convencionais Cone Morse com pilar sólido (Ø4,0mm). Os implantes foram testados em uma máquina de ensaio universal. Os testes estatísticos de Shapiro-Wilk, ANOVA e Tukey (p≤ 0.05) foram aplicados. Após estes testes, foram analisadas amostras por meio de uma microscopia eletrônica de varredura (MEV) e os grupos 3 e 4 foram analisados em um perfilômetro. Resultados: Os grupos se comportaram diferentemente entre si. Houve diferença estatística significante no teste de variância ANOVA 1 fator, teste Tukey (p≤ 0.05). Grupo 1- 134,29N (10,27); Grupo 2- 300,61N (24,26); Grupo 3- 360,64N (23,34); Grupo 4- 419,10N (18,87). Conclusão: Quanto maior o diâmetro dos implantes, maior sua resistência. Implantes extraestreitos e estreitos podem ser indicados para reabilitação de incisivos.

Palavras-chave: Implantes extraestreitos; Máquina de ensaio; Iso14801.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Prótese
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Pesquisa em Biomateriais Odontológicos


Título: Efeito clínico do uso sistêmico do resveratrol associado ou não à antibioticoterapia no tratamento periodontal não cirúrgico da periodontite agressiva generalizada
Autor(a): Denise Nishii
Orientador(a): Fernanda Vieira Ribeiro
Data da defesa: 22/09/2017
Resumo: O objetivo do presente estudo clínico, randomizado, placebo-controlado, duplo cego e paralelo foi avaliar o efeito da administração sistêmica do resveratrol (RESV), associado ou não à antibioticoterapia, no tratamento periodontal não cirúrgico de pacientes com periodontite agressiva generalizada (PAG). Para tanto, foram selecionados 32 indivíduos com PAG que foram aleatoriamente alocados em dois grupos: RSV+ANTI - debridamento ultrassônico de boca toda em sessão única, associado à administração sistêmica de 500 mg de RESV, por 180 dias, e administração sistêmica de amoxicilina 500 mg e metronidazol 400 mg a cada 8 horas por 7 dias; RSV - debridamento ultrassônico de boca toda em sessão única, associado à administração sistêmica de 500 mg de RSV, por 180 dias, e administração de placebo a cada 8 horas por 7 dias. Avaliações clínicas foram realizadas nos períodos baseline, 30 dias e 3 e 6 meses após o tratamento, para mensuração dos seguintes parâmetros: índice de placa (IP) e sangramento (IG), sangramento à sondagem (SS), posição da margem gengival (PMG), profundidade de sondagem (PS) e nível clínico de inserção (NIC). A avaliação do compliance ao tratamento foi realizada, em consultas mensais, por meio da contagem das cápsulas remanescentes no frasco, verificação da tabela na qual os pacientes anotavam as cápsulas ingeridas e análise dos questionários referentes à ocorrência de reações adversas relacionadas ao uso de medicamentos e referentes à dor/desconforto durante os 7 dias após o debridamento. Posteriormente, os dados foram submetidos ao teste de normalidade (Teste de Kolmogorov-Smirnov) para escolha dos métodos estatísticos paramétricos e não paramétricos indicados. Para todas as avaliações foi adotado um nível de significância de 5%. Observou-se nas análises de PS geral redução na PS e ganho de NIC em ambos os grupos, aos 30 dias de acompanhamento, que se mantiveram ao longo dos 6 meses de acompanhamento, sem diferenças estatísticas entre os grupos em nenhum período do estudo. Considerando as análises das médias estratificadas para bolsas inicialmente moderadas e profundas, houve redução da PS e ganho de NIC em ambos os grupos, aos 30 dias de acompanhamento, que se mantiveram ao longo dos 6 meses de acompanhamento. Na análise intergrupos para bolsas inicialmente moderadas e profundas, em relação à PS, houve diferença estatística em todos os tempos; quanto ao NIC, para bolsas inicialmente moderadas, houve diferença estatística aos 6 meses de acompanhamento, enquanto que, para bolsas inicialmente profundas, houve diferença estatística aos 30 dias de acompanhamento e se mantendo até os 6 meses de acompanhamento. Pode-se concluir que a administração sistêmica do RESV isoladamente promoveu redução na PS e ganho de NIC fornecendo benefícios clínicos similares ao uso do RESV associado à antibioticoterapia no tratamento periodontal não cirúrgico de pacientes com PAG.

Palavras-chave: Periodontite agressiva generalizada; Tratamento periodontal não cirúrgico; Antibioticoterapia; Resveratrol; Modulação do hospedeiro.
Área de Concentração: Clínica Odontológica - Periodontia
Linha de Pesquisa: Prevenção e tratamento das doenças do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Esquemas terapêuticos e curativos propostos e preconizados no tratamento das doenças bucais