Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação

APRESENTAÇÃO

Objetivos

  • Gerar e difundir conhecimentos no âmbito da Comunicação, promovendo reflexões teóricas e estudos de técnicas avançadas referentes aos processos de concepção, elaboração, veiculação, recepção do produto comunicativo e sua interação entre grupos sociais.
  • Promover a formação de pesquisadores para responder cientificamente às necessidades da área de Comunicação.
  • Qualificar docentes para o ensino superior.
  • Atribuir o título de Mestre em Comunicação.

Público-alvo

Profissionais formados em comunicação social e áreas afins.

Histórico

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação busca constituir condições favoráveis ao desenvolvimento de pesquisas vinculadas à Área de Comunicação, especialmente aquelas relativas a temas cujo foco se apresenta a partir de problemas culturais, seja no que diz respeito aos fenômenos midiáticos, seja com relação às condições ou manifestações sociais às quais estão vinculados. Tal esforço se traduz em resultados crescentes sob o ponto de vista da avaliação promovida pela CAPES, redundando na aprovação do curso de Doutoramento, implantado a partir de 2012.
Dentre as ações realizadas, destacam-se a organização de seminários avançados, encontros científicos e intercâmbios de pesquisa, realizados por docentes e discentes, com outros Programas do Brasil e do exterior, cujo resultado é observável na produção acadêmica traduzida em artigos publicados em periódicos qualificados e livros, sobretudo.
Os frutos dessas experiências e das avaliações da CAPES evidenciam-se no aperfeiçoamento das definições das linhas de pesquisa, na reformulação da estrutura curricular e na qualidade de muitos dos trabalhos publicados ou selecionados em congressos. Além disso, o Programa deu impulso à criação de Grupos de Pesquisa nos termos estabelecidos pelo CNPq, levando em conta a produtividade e o fortalecimento de suas atividades.
Tendo como objetivo, de um lado, consolidar os componentes fundamentais da estrutura de um curso de pós-graduação stricto sensu e, de outro, atingir os níveis de excelência, o Programa, durante o último quadriênio, tem trazido, com o apoio da Vice-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa da UNIP e da FAPESP, vários professores visitantes e, ao mesmo tempo, intensificou seus intercâmbios com universidades estrangeiras para estabelecer convênios e pesquisas com importantes universidades, como a Complutense de Madrid e a Universidade de Valência, por exemplo.
Este processo redunda, ainda, na frequente presença de docentes atuando em importantes fóruns da área, como a Compós, Intercom, Socine, SBPJor e outros, seja por meio de trabalhos submetidos e aprovados pela coordenação de Grupos de Trabalho, ou mesmo participando em cargos diretivos de tais associações.
Concluindo, a gestão do Programa, de acordo com o Regimento Interno, é realizada por órgão Colegiado, constituído por cinco professores, dentre os quais um exerce a função de Coordenador, e um representante discente, sendo secretariado pelo Secretário(a) da Pós-Graduação. No momento, o Colegiado do Curso está assim constituído:

Coordenador: Prof. Dr. Maurício Ribeiro da Silva
Membros do Colegiado: Profa. Dra. Barbara Heller, Profa. Dra. Simone Luci Pereira e Prof. Dr. Gustavo Souza da Silva.
Suplente: Profa. Dra. Carla Reis Longhi
Secretário: Christina Rodrigues
Representante discente: Tamiris Artico (mestranda) e Leonardo de Souza Aloi Torres (doutorando)

Área

Comunicação

Áreas de Conhecimento

  • Comunicação e Audiovisualidades
  • Comunicação e Memória
  • Comunicação e Política
  • Comunicação, Mídia e Religiosidades
  • Sociologia da comunicação
  • Teorias da Comunicação

Área de Concentração

Comunicação e Cultura Midiática

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação concentra seus esforços na subárea denominada Cultura Midiática com o objetivo geral de constituir contribuições e críticas ao conhecimento relativo aos processos comunicacionais em vinculação aos contemporâneos fenômenos relacionados à cultura globalizada, plena da presença de aparatos midiáticos, tecnologias interativas e estratégias comunicacionais que proporcionam ou atualizam formas diversas de (re)organização social e cultural.

Linhas e Projetos de Pesquisa

A partir da Área de Concentração, propõe-se a divisão do campo Cultura Midiática em duas linhas de investigação, ao mesmo tempo díspares e complementares, as quais têm por objetivo congregar pesquisas que visam contribuir, por um lado, para a compreensão dos fenômenos midiáticos contemporâneos (Linha 1) e, por outro, suas implicações no âmbito da sociedade e da cultura (Linha 2). Figuram, portanto, as seguintes linhas e respectivas ementas:

  • Linha 1 - Configuração de produtos e processos na cultura midiática
    Congrega pesquisas sobre as dinâmicas históricas, as formas, as estratégias e os processos por meio dos quais são codificados e estruturados os produtos de natureza impressa, sonora e audiovisual no âmbito da cultura midiática.
  • Linha 2 - Contribuições da mídia para a interação entre grupos sociais
    Reúne pesquisas orientadas às práticas e processos midiáticos inscritos em grupos sociais, privilegiando a análise de poder e resistência. São admitidas pesquisas sobre discursos, práticas e representações, bem como meios e ambientes sociopolíticos, culturais e imaginários no contexto midiático.

Projetos de Pesquisa

Atualmente, os docentes do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação desenvolvem os seguintes projetos de pesquisa:

Linha 1 - Configuração de produtos e processos na cultura midiática

1) Nome do Projeto: Rádio e conflito: Revolução Constitucionalista no Brasil na era Vargas (1932); Ascensão de Salazar em Portugal (1932) e Guerra Civil Espanhola (1936-1939)
Responsável: Prof. Dr. Antônio Adami
Ementa: O objetivo desta pesquisa é buscar aprofundar e compreender o papel do meio rádio e como se dava a produção radiofônica nas guerras civis nos anos 1930, em três países e dois continentes, no Brasil, a Revolução Constitucionalista de 1932; na Espanha, a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e em Portugal, a ascensão de Salazar ao poder, em 1932. Lembrando que o rádio é o principal meio de comunicação dos anos 1930 e seu papel é fundamental no desenvolvimento destas guerras civis, queremos entender também como o meio foi utilizado para conglomerar e manipular as massas, de um lado e de outro lado das guerras. Este projeto tem origem em pesquisa de pós-doutorado realizada em 2009-2010, com apoio FAPESP, na Universitat Autònoma de Barcelona, sob a supervisão de Armand Balsebre e outro pós-doc realizado em 2014, na Universidad Complutense de Madrid, também com apoio da FAPESP, sob a supervisão de Manuel Ángel Fernandes Sande. A pesquisa justifica-se, primeiramente, pela importância em compreender a produção da época, mas também para o entendimento da história do meio; justifica-se ainda pela carência absoluta, nos três países, de material publicado sobre o tema, daí a relevância social e científica e a originalidade da pesquisa. A metodologia da História Oral é importante para o desenvolvimento da pesquisa, particularmente centrada em entrevistas, mas também estamos buscando acesso a material fotográfico, documentos da época, depoimentos de autoridades, além de livros e artigos em periódicos que tratem do tema.

2) Nome do Projeto: Comunicação Política e Estratégias de Campanha
Responsável: Profa. Dra. Carla Montuori Fernandes
Ementa: O campo da comunicação e o da política são indissociáveis. Em função do alcance dos meios tradicionais e da popularização de novos dispositivos tecnológicos, é necessário reconhecer que vivemos um bios midiático (SODRE, 2002).  Os agentes políticos utilizam o poder do campo midiático para enfatizar seus discursos, como também incorporam as lógicas e gramáticas comunicacionais ao próprio funcionamento da política (GOMES, 2004). Nesse sentido, essa pesquisa tem por objetivo analisar a relação entre comunicação e política no Brasil, no âmbito das estratégias eleitorais, acionadas, sobretudo, no período de eleições majoritárias (presidenciais, governamentais e municipais). Pretende-se também estudar os desdobramentos da cobertura midiática durante o período pré-eleitoral e eleitoral, nas eleições de 2014, 2016 e 2018, priorizando os telejornais, a mídia impressa e as redes sociais.

3) Nome do Projeto: Cult Popular em Múltiplas Telas: Adaptações audiovisuais e os fãs de ‘O Fantasma da Ópera’ na América Latina
Responsável: Profa. Dra. Clarice Greco Alves
Ementa: O presente projeto é um desdobramento da proposta de colaboração internacional Phantôm on Film: screen adaptations of Le Fantôme de l’Opéra: Routes of cultural transfer, sediado na Guildhall School of Music and Drama, em Londres, com financiamento Leverhulme Trust. Trata-se de uma rede de pesquisadores de diversos países em diálogo sobre as adaptações de O Fantasma da Ópera e as transferências culturais envolvidas nesses textos. No Brasil, em consonância com pesquisas desenvolvidas também junto ao Observatório Ibero-americano de Ficção Televisiva (OBITEL), este projeto busca compreender as manifestações dos fãs desta obra clássica no contexto da ficção televisiva latino-americana. A partir de teorias de recepção transmídia, dos estudos de fãs e da noção de cult popular, buscamos problematizar as questões do culto a obras de ficção, da popularização da arte, da internacionalização da ficção e da adaptação ao contexto nacional, dentro da cultura de telenovela e do ambiente transmídia. A metodologia proposta é o mapeamento e a análise de três adaptações audiovisuais brasileiras de O Fantasma da Ópera, além da investigação e da percepção de diagnósticos sobre a criatividade e o engajamento dos fãs em redes sociais on-line e off-line, especialmente na produção de fanfics. Com isso, buscaremos consolidar uma rede internacional de pesquisadores do audiovisual, aplicar conhecimentos e dar continuidade a pesquisas sobre a ficção televisiva brasileira e/ou latino-americana, em âmbito global.

4) Nome do Projeto: O trauma no documentário brasileiro
Responsável: Prof. Dr. Gustavo Souza da Silva
Ementa: A discussão empreendida por estudiosos do documentário sobre situações traumáticas, abordadas por essa modalidade fílmica, apresenta basicamente dois eixos: o holocausto da Segunda Guerra Mundial e os genocídios ocorridos durante o século XX. No Brasil, tal abordagem é ausente, uma vez que não consta em nossa história holocausto ou genocídio (este último, pelo menos oficialmente). Assim, como pensar o trauma no contexto brasileiro quando abordado pelo documentário? Que narrativas, representações e discursos em imagem e som geram tais situações traumáticas? Ao privilegiar a dimensão coletiva do trauma, que ações para a promoção da justiça e para a formação de uma sociedade menos injusta e desigual esses filmes sugerem? Antes de responder a essas questões, vale ressaltar que a noção de trauma aqui adotada privilegia uma perspectiva cultural em detrimento da psicanalítica, em que pesa o deslocamento do sujeito da condição de enfermo para a de vítima. Assim, partiremos dos documentários Atos dos homens (Kiko Goifman, 2005), Ônibus 174 (José Padilha, 2002), Jogo de cena (Eduardo Coutinho, 2007) e Estamira (Marcos Prado, 2006). Nesses filmes, o evento traumático é vivido tanto na esfera coletiva quanto na pública. A hipótese adotada é de que o modo como o corpus aborda o trauma permite lê-lo a partir de três características: o acontecimento violento, o dano sofrido e as consequências a médio e longo prazo. Cada um desses aspectos encontra sua matéria-prima nos elementos fílmicos que, por sua vez, sinalizam para revisão da noção de vítima, a construção de uma memória e para a instauração de medidas que ampliem o acesso à justiça.

5) Nome do Projeto: Sous le ciel de Paris: memória e nomadismo da canção francesa, no Brasil
Responsável: Profa. Dra. Heloísa de Araújo Duarte Valente
Ementa: Este projeto de pesquisa dá continuidade a “A canção das mídias: memória e nomadismo”, que venho realizando, desde 2004, com a colaboração dos pesquisadores do Centro de Estudos em Música e Mídia - MusiMid e convidados. Concluídas as quatro primeiras etapas, esta nova investigação lança mão de pesquisas preliminares iniciadas há uns anos e diz respeito à canção francesa. Ainda que não tão expressiva em vendagem, tal como ocorreu com o repertório de outras nacionalidades (portuguesa, italiana, latino-americana), esta canção teve importantes repercussões na cultura brasileira, como já atestam os trabalhos de Valente (2003), de Zumthor (1997; 2005), considerados aqui de caráter inicial. Assim, tal temática ainda não foi alvo de estudos acadêmicos mais consistentes, nos termos aqui propostos. Mais particularmente, este estudo se dedica àquilo que se usou denominar por “canção romântica”. Delimitamos a investigação ao período que compreende o final da década de 1930 até o término da década de 1970, época em que a canção internacional de matriz europeia perde destaque, dando lugar aos gêneros rock e pop de língua inglesa, bem como aos repertórios regionais que surgem fora do eixo Rio-São Paulo. Partimos dos conceitos de “canção das mídias” (Valente, 2003) e “nomadismo” (Zumthor, 1997) para analisar como a canção expressa, informa, corrobora, apresenta traços da cultura da qual faz referência e à qual se vincula.

6) Nome do Projeto: As formas materiais da desigualdade social no Brasil dos anos 50: a apropriação dos objetos pelo cinema das chanchadas
Responsável: Profa. Dra. Solange Wajnman
Ementa: Dentro de um contexto de desigualdade cultural, no qual se destacam a importação dos modelos americanos de consumo, notadamente do star system americano de Hollywood, esta pesquisa se propõe a examinar a composição funcional, tecnológica e estética da sociedade dos anos 50 ao redor da produção cultural das chanchadas. Desta maneira, a partir do estudo do cinema das chanchadas produzido nesta época, nossa investigação interroga sobre a maneira pelas quais os objetos de cena são apropriados e construídos tanto do ponto tecnológico, quanto do ponto de vista estético e sócio urbano. Em outras palavras, trata-se de pesquisar os artefatos materiais, a composição estilística e os padrões tecnológicos da sociedade dos anos 50 que se espelham e se recompõem no cinema das chanchadas. Como referências, destacamos os autores Sergio Augusto, Bernadette Lyra, João Luiz Vieira e Rosângela Oliveira Dias.

Linha 2 - Contribuições da mídia para a interação entre grupos sociais

7) Nome do Projeto: Empoderamento, esquecimento ou silenciamento? A ressignificação das narrativas femininas por meio da memória social.
Responsável: Profa. Dra. Barbara Heller
Ementa: Na Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável, adotada em 2015 pela Assembleia das Nações Unidas, entre os 17 objetivos sustentáveis, encontra-se o de “Igualdade de Gênero”. Por meio dele espera-se eliminar as desigualdades de gênero se e quando “mulheres, homens, sociedade civil, governos, empresas, universidades e meios de comunicação [trabalharem] de maneira determinada, concreta e sistemática [...]”. (Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/planeta5050-2030/paridade/ Acesso: 09 jan. 2018).
Isso significa que os meios de comunicação ocupam papel central na luta pela igualdade de gênero. Basta lembrar que no Brasil era vedado às mulheres o acesso ao ensino formal até os primeiros anos que se seguiram à Proclamação da República em 1889, e que a imprensa feminina que a partir dali se originou, era considerada inferior, quando comparada aos jornais em circulação. O “diário” é gênero textual a que venho me dedicando para refletir sobre as relações entre as mulheres e os meios de comunicação, em cujos manuscritos expressavam seus sentimentos, lembranças, experiências, sempre ativadas pelas memórias individual e social. Com o incremento da indústria editorial e sua segmentação, os manuscritos ganharam novos suportes - os livros - e novos consumidores. É possível reconhecer nestes textos, agora editados, formas de resistência à opressão do Estado, da família, da religião, ao silenciamento, ao esquecimento e estratégias de empoderamento. Trata-se, portanto, de uma pesquisa qualitativa e documental. Os referenciais teóricos utilizados versam sobre memória, diários e estudos de gênero tais como: BADINTER, Elisabeth (Rumo equivocado - o feminismo e alguns destinos); CARLOS, Ana Maria e ESTEVES, Antonio R. (Org.), (Narrativas do eu: memo´rias atrave´s da escrita); BUTLER, Judith (Problemas de gênero); HALBWACHS, Maurice (A memória coletiva); LE GOFF, Jacques (História e Memória); POLLAK, Michael (Memória, esquecimento, silêncio); SARLO, Beatriz (Tiempo passado, cultura de la memoria y giro subjetivo);  SELIGMANN-SILVA, Márcio (História, memória, literatura); TODOROV, Tzvetan (Memória do mal, tentação do bem). Vários livros foram e ainda serão objeto de meu corpus. Dentre eles, destaco: RENNER, Hannelore (As meninas do quarto 28); KOSTER, Ingrid Helga (Ingrid; uma história de exílios); ALCOBA, Laura (La casa de los conejos).

8) Nome do Projeto: Cultura e política compondo a tessitura de representações sociais midiáticas-Brasil / Espanha
Responsável: Profa. Dra. Carla Reis Longhi
Ementa: Esta reflexão parte da pesquisa de pós-doutorado desenvolvida entre 2013/2014, junto à Universidad Complutense de Madrid, intitulada '?ENTRE OS FIOS E OS RASTROS? - CULTURA, POLÍTICA E MÍDIAS COMPONDO A TESSITURA DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS BRASIL/ESPANHA' com apoio de Bolsa BPE_ FAPESP. Nesta propusemos como objeto a análise das representações midiáticas sobre sujeitos excluídos, delimitada pelos grupos de sujeitos sem moradia ou que moram de forma irregular, no Brasil, denominados favelados e, na Espanha, denominados ?desahuciados?. Dentro desta definição do objeto, propusemos como problemática a análise do impacto da cultura local no trato, estratégias discursivas e formas de representação destes sujeitos, pela mídia impressa, mídia esta de caráter massivo, no sentido de sua configuração centralizadora e não interativa. Objetivávamos ponderar sobre o modo como diferentes culturas tratam um mesmo problema e constituem o processo de construção de representações sociais. Sabemos que existem especificidades econômicas, políticas e históricas, mas não podemos desconsiderar o fato de que mesmo os países europeus, hoje, seguem metas econômicas neoliberais, colocando interesses econômicos do sistema financeiro à frente de suas políticas sociais; esta sempre foi a realidade brasileira e, apesar de ambos passarem a responder às mesmas pressões capitalistas, têm profundas distinções e são estas que motivaram a nossa pesquisa, colocando-se assim, a seguinte problemática: países culturalmente distintos, podem responder às mesmas lógicas de representação social, por serem pressionados pela mesma dinâmica econômica? Dando continuidade a esta temática proposta, visamos, agora, seguir com alguns aprofundamentos organizados em três frentes: 1. Um aprofundamento da pesquisa histórica sobre os sujeitos excluídos, particularmente no caso brasileiro, dada a extensão de sua existência. 2. Estabelecer um aprofundamento teórico-conceitual em duas importantes direções: na discussão sobre os processos de representações midiáticas, ampliando as perspectivas teóricas e na reflexão sobre o conceito do 'cuidado de si' discutido por Foucault. 3. Ampliar a reflexão sobre as características do Estado Liberal brasileiro e a constituição dos valores éticos na estruturação social.

9) Nome do Projeto: Ecologia da comunicação: estratégias contra-hegemônicas do imaginário na religiosidade popular
Responsável: Prof. Dr. Jorge Miklos
Ementa: O ponto de partida da pesquisa é o reconhecimento que há processos comunicacionais religiosos que não se situam no eixo hegemônico da midiatização e da lógica do capital. Esses processos privilegiam as estratégias de vinculação nos grupos sociais que legitimam o tempo compartilhado, os ritos da cultura, a produção comunicacional colaborativa e solidária fundando imaginários radicais, ou seja, a capacidade de produzir novas relações de esperança, de transformação social e da criação do novo. Nesse sentido, a pesquisa procura examinar grupos religiosos (católicos, evangélicos, espíritas, afro-brasileiros, indígenas, entre outros) que se estabelecem no campo da religiosidade popular, que trafegam externamente ao contexto da mídia hegemônica (bios midiático) e que se posicionam na tensão com o sistema econômico, no contra fluxo da autoridade clerical (institucional, apenas devocional e sem compromisso com a justiça dos pobres) e na contra-hegemonia da lógica midiática, constituindo territórios concretos e imaginários de resistência. O objetivo é estudar estratégias contra-hegemônicas nos imaginários de resistência presentes religiosidade popular. A hipótese é que a religiosidade popular e seus processos comunicativos alternativos são fontes de utopias regeneradoras e libertárias. O percurso metodológico prevê pesquisa bibliográfica, entrevistas em profundidade, análise documental e observação participante.  A partir das reflexões teóricas de Morin (2007), Contrera (2010), Brandão (1980; 2004), Poel (2013), Moraes (2008), Santos (2006), Paiva (2003, 2007, 2008, 2012, 2014, 2015), Romano (1993, 2004), estudaremos movimentos da religiosidade popular que agenciam contestação, insurgência e apropriação de processos comunicacionais contra-hegemônicos no mundo contemporâneo, expressos nas Ecologias dos Saberes e na Ecologia da Comunicação.

10) Nome do Projeto: O papel da empatia nos processos miméticos de comunicação
Responsável: Profa. Dra. Malena Segura Contrera
Ementa: A presente pesquisa propõe-se a investigar qual a importância e o papel da empatia nas práticas miméticas presentes nos processos comunicativos, considerando a contribuição dos atuais estudos etológicos e psicológicos que se ocupam do tema, avaliando ainda a sua importância para a constituição dos vínculos comunicativos. Considera-se ainda as diferenças existentes entre os processos empáticos presentes na comunicação presencial e os processos empáticos presentes na comunicação mediada eletronicamente. Partindo da hipótese central de que a empatia seja fundamental para a constituição da comunicação humana e, em especial, para os processos miméticos que a compõem, a pesquisa traça um itinerário teórico que passa pela questão dos vínculos comunicativos e das diferenças das práticas empáticas existentes nas modalidades de comunicação presencial e mediada eletronicamente. Objetiva-se investigar, a partir de como se constitui e desenvolve a empatia entre os seres humanos, como essa empatia é a base dos processos miméticos presentes na comunicação, e como as duas - empatia e mimese - são especialmente relevantes para a formação da sociabilidade e para os enfrentamentos necessários exigidos pela alteridade nas práticas comunicativas contemporâneas. De cunho teórico e valendo-se do Método e da Teoria da Complexidade de E. Morin como base do pensamento acerca dos fenômenos humanos e sociais, a pesquisa utiliza como bases centrais os estudos sobre empatia de Frans de Waal e de Boris Cyrulnik, os estudos sobre o vínculo comunicativo de Boris Cyrulnik, Harry Harlow e Norval Baitello Jr., os estudos sobre mimese de Christoph Wulf e Gunter Gebauer, os estudos de Carl G. Jung sobre contágio psíquico das massas e os estudos de James Hillman sobre imaginação arquetípica, como subsídios de diversas áreas que conversam com as Teorias da Comunicação para pensar o tema proposto. Acerca do conceito de vínculo comunicativo e dos processos mediáticos na sociedade contemporânea, consideramos especialmente as contribuições de Norval Baitello Junior e de Muniz Sodré ao tema, bem como visamos aprofundar o que já foi investigado em pesquisas anteriores junto à bolsa Pq do CNPq acerca da “Mediosfera” (2010-2013) e “O papel da mimese na comunicação” (2013-2016).

11)Nome do Projeto: Entre Deus e o Diabo: a construção da intolerância no imaginário midiático da Umbanda, uma religião brasileira
Responsável: Prof. Dr. Maurício Ribeiro da Silva
Ementa: O presente projeto de pesquisa tem como objetivo central identificar como se constitui no ambiente midiático o embate entre os agentes que atuam no processo inicial de disseminação da prática da Umbanda, favorecendo a compreensão do modo como se apresentam e cristalizam preconceitos contra as religiões afro-brasileiras, em especial, a Umbanda. Para tanto, buscaremos delimitar a abrangência geográfica e temporal ao contexto dos jornais de grande circulação publicados no Rio de Janeiro durante o chamado período de legitimação da Umbanda (1920 a 1950), para identificar reportagens, fotografias, caricaturas e outros elementos que venham a contribuir para com os objetivos propostos. A hipótese central aponta para que o processo de detratação da Umbanda se estabelece nos jornais do Rio de Janeiro por meio do trânsito progressivo das reportagens de uma posição vinculada ao imaginário originalmente católico apropriado pelo discurso espírita da ação voltada para a caridade e para a elevação do homem, para um quadro vinculado ao imaginário relacionado ao negro, no qual são acionados elementos advindos do catolicismo colonial (a ação do demônio, o pecado, etc.). O corpus da pesquisa será classificado e sobre ele será realizada análise de conteúdo, realizando-se, ainda, o registro de terminologias associadas aos polos culturais positivos e negativos, buscando identificar recorrências e repetições. Tais análises serão problematizadas tomando-se como referências as Teorias da Cultura e do Imaginário (Edgar Morin, James Hillman, Erich Neumann, Christoph Wulf) e da Comunicação e do Imaginário Midiático (Muniz Sodré, Malena Segura Contrera).

12) Nome do Projeto: Futebol, mídia e novos populismos no Brasil contemporâneo: um olhar sociossemiótico
Responsável: Prof. Dr. Paolo Demuru
Ementa: O objetivo deste projeto é analisar as narrativas e os processos comunicacionais e midiáticos que nos últimos anos, desde as primeiras manifestações de junho de 2013 contra o aumento da tarifa do transporte público, acompanharam e alimentaram, dia após dia, o percurso rumo ao impeachment de Rousseff e seus atuais desdobramentos. Com base no arcabouço teórico da semiótica de Algirdas J. Greimas, da sociossemiótica de Eric Landowski e dos aportes pontuais de Umberto Eco sobre o “modo simbólico” (cf. Eco, 1984), procurar-se-á demonstrar as seguintes hipóteses: 1. as narrativas e os processos acima mencionados fundam-se em três precisas estratégias discursivas: a. em uma manipulação (cf. Greimas; 2014; Landowski, 2005) dos símbolos nacionais - hino, bandeira, camisa da seleção brasileira de futebol -, utilizados como catalizadores estésico-passionais (Greimas, 2002) e canalizadores de significados, objetos, ou seja, passiveis de resumir e abarcar a totalidade dos valores e dos posicionamentos político-ideológicos em jogo em um dado momento histórico; b. em um processo de futebolização da política e da sociedade brasileira, reduzidas a um estádio no qual a única ação possível parece ser torcer para um dos dois times em campo; c. em uma dinâmica de serialização da crise que levou ao impeachment e suas atuais consequências, fundada em uma trama de sobreposições entre o discurso político e o discurso televisivo - em particular, aquele da ficção seriada televisa. 2. Tais estratégias constituem os traços distintivos de um novo populismo que vem se afirmando hoje no Brasil, que envolve tanto os sujeitos políticos quanto aqueles midiáticos. Um populismo caracterizado por uma indeterminação semântica de fundo, pela polarização das identidades política e socioculturais e pela exasperação da carga estésico-passional coletiva, que ecoa aqueles de outras nações e continentes (Europa e Estados Unidos). Os resultados esperados são tanto de cunho teórico-analítico, quanto político-social em sentido lato. No que tange aos primeiros, pretende se deslocar a reflexão semiótica sobre o símbolo do plano do sistema semântico (relações mais ou menos sedimentadas entre expressões e conteúdos) ao plano dos processos interacionais entre grupos sociais (regimes de interação, conflitos enunciacionais e relações de força por ele proporcionados), refletindo, ao mesmo tempo, sobre as estratégias discursivas e as sobreposições entre as diversas semiosferas por meio das quais emergem e se constroem, hoje, as identidades político-nacionais. No que se refere aos segundos, visa-se compreender e explicitar as raízes discursivas do novo populismo brasileiro e, em certa medida, o mundial, contribuindo à promoção do diálogo entre os atores da cena política nacional e internacional, bem como de sociedades e instituições - principalmente na área da comunicação - mais inclusivas.

13) Nome do Projeto: Culturas urbanas, juventudes e práticas musicais-midiáticas alternativas em São Paulo: usos da cidade, socialidades e interculturalidade
Responsável: Profa. Dra. Simone Luci Pereira
Ementa: Esta pesquisa busca mapear e analisar práticas musicais-midiáticas e culturas juvenis na cidade de São Paulo, tendo como foco as articulações entre urbanidades, juvenilidades, cultura midiática e de consumo e a produção cultural/musical de coletivos ligados à música alternativa/independente que atuam na cidade. Articulando uma discussão que dialoga principalmente os campos da Comunicação, Antropologia e Música, a investigação usa como metodologia um mapeamento destes grupos, bem como uma etnografia dos eventos e atividades organizados por eles e entrevistas com estes atores e o público. Utilizaremos ainda uma análise das redes sociais midiáticas empregadas na busca por divulgação de eventos e outros, em que o entretenimento é um mediador de redes de solidariedade e estratégias de visibilidade e audibilidade, socialidades e processos de identidades destes grupos. Busca-se também compreender questões mais amplas que circundam as discussões sobre juventude, cultura midiática, estilos de vida e culturas urbanas na atualidade, a saber: as possibilidades de atuação fora ou nas bordas do mainstream e da cultura hegemônica e as negociações aí existentes; os limites das produções independentes; certo “ethos alternativo” presente nas práticas e imaginários destes grupos; os usos da cidade e dos espaços públicos; os sentidos políticos engendrados por estas atuações juvenis perfazendo um ativismo musical.

Infraestrutura

A UNIP disponibiliza para o Programa:

  1. Salas para aulas teóricas e seminários: salas climatizadas, com microcomputadores, data shows, áudio, DVDs, telas, mesas e cadeiras, acesso à internet de alta velocidade, incluindo o sistema wireless.
  2. Sala de alunos e grupos de pesquisa: salas para reunião e estudos, climatizadas, com mesas, cadeiras, microcomputadores com acesso a internet de alta velocidade, incluindo o sistema wireless, scanner e impressora.
  3. Sala dos professores: os docentes do Programa contam, individualmente, com sala de trabalho, equipada com mesa, cadeira e computador com acesso à internet de alta velocidade, incluindo o sistema wireless, scanner, impressora e climatização ambiente na qual desenvolvem atividades de pesquisa e orientação de alunos e outras compatíveis e necessárias ao bom andamento de suas atividades. Contam, também, com sala de reunião na qual são desenvolvidas atividades de planejamento e avaliação, atividades de colegiado e comissões internas, dentre outras.
  4. Salas para Qualificações e Defesas: são duas salas climatizadas, com data shows, microcomputadores, telas, cadeiras estofadas, mesa de cinco lugares destinada à Banca, acesso à internet de alta velocidade, incluindo sistema wireless.
  5. Secretaria de Pós-Graduação que dá suporte aos alunos e professores do Programa.
  6. Auditórios: no prédio da Pós-Graduação há três auditórios com capacidade de 50, 150 e 600 lugares, com toda a infraestrutura para a realização de cursos e eventos.
  7. Laboratórios e Estúdios: Estúdio e Laboratório Fotográfico, de Rádio, de Televisão, Multimídia (softwares para edição e tratamento de imagens, produção de vídeo, elaboração de efeitos gráficos, sonoros e criação de programas).

Recursos de Informática
O laboratório de informática, salas de alunos e de professores estão equipados com computadores interligados à rede de informática da UNIP, com acesso à internet de alta velocidade, incluindo o sistema wireless, correio eletrônico e rede da biblioteca, o que permite o acesso a todo o acervo bibliográfico da Universidade.
A UNIP disponibiliza para os alunos de Pós-Graduação um laboratório de informática que contém 20 microcomputadores, 01 impressora e técnico de informática à disposição.
Todos os computadores possuem softwares de última geração para a realização de análises estatísticas, confecção de material didático, banco de dados e editores de texto.

Biblioteca
A biblioteca da Universidade conta com acervos atualizados e que atendem às bibliografias recomendadas, além de assinaturas de periódicos e revistas.
A organização das bibliotecas da UNIP tem como objetivo atender às necessidades dos cursos e demais atividades da Universidade, dando suporte ao ensino e à pesquisa. No cumprimento desse objetivo, destaca-se a disponibilização do Portal de Periódicos da CAPES para toda a comunidade acadêmica.
Alunos e professores podem consultar livros, monografias, teses, vídeos, CD-ROMs e periódicos por intermédio de um sistema totalmente revolucionário, pois as bibliotecas já estão estruturadas de forma a dar suporte ao ensino e à pesquisa, dentro de uma organização multicampi.
As bibliotecas setoriais (uma em cada campus) são controladas por uma unidade central de informações via Intranet (rede privada que utiliza os mesmos recursos da Internet).
Todas as bibliotecas da instituição são interligadas on-line pela Internet, possibilitando o uso pleno dos serviços e recursos por um universo maior de usuários, durante 24 horas por dia, e respeitando a descentralização dos acervos, necessária devido às diferentes localizações dos campi.
A Universidade possui, para consultas de seus usuários, bases de dados nacionais e internacionais, assim como outros recursos de informática, que agilizam os serviços de levantamento e comutação bibliográfica. Atualmente, contamos com 1.170.943 exemplares dos mais variados títulos.

Parcerias Institucionais, Intercâmbios, Convênios e Auxílios à Pesquisa

Intercâmbios Nacionais
Os docentes do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação realizam diversas atividades em Associações e Fóruns da Área, com especial destaque para a participação na Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (COMPÓS), Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM), Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (SOCINE) e no Fórum de Programas de Pós-Graduação em Comunicação do Estado de São Paulo.
Todos os docentes do Corpo Permanente do Programa participam continuamente de bancas de mestrado e doutorado de outros Programas do Estado de São Paulo, bem como de outros Estados, além de realizar intercâmbio com Grupos de Pesquisa sediados em outras instituições nacionais. Como exemplo, indicamos as atividades abaixo relacionadas:

Barbara Heller

  • Pesquisadora associada do Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura (USP).
  • Coordenadora do GT do Encontro COMPÓS 2017, Memória nas Mídias.

Carla Montuori Fernandes

  • Participante do Projeto Temático Lideranças Políticas no Brasil - características e questões institucionais (apoio FAPESP), coordenado pela Profa. Vera Chaia, do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Sociais da PUC-SP.
  • Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política - NEAMP - da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Clarice Greco Alves

  • Pesquisadora do Centro de Estudos de Telenovela da ECA-USP (CETVN) e do Observatório Ibero-americano de Ficção Televisiva (OBITEL).
  • Vice-coordenadora do OBITEL, em parceria com Profa. Maria Immacolata Vassallo Lopes, do PPGCOM ECA-USP.

Gustavo Souza da Silva

  • Pesquisador do CineMídia - Estudos sobre História e Teoria das Mídias Audiovisuais, liderado pelos professores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Samuel Paiva, Suzana Reck Miranda e Flávia Cesarino Costa.

Heloísa Araújo Duarde Valente

  • Pesquisadora colaboradora do Grupo de Estudos sobre Entretenimento, Comunicação e Consumo - GECCO.
  • Membro da diretoria (editora) da Associação Latino-americana para o Estudo da Música Popular (IASPM-AL), (2014-2016; 2016-2018).
  • Bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq, categoria PQ-2.

Jorge Miklos

  • Pesquisador e vice-coordenador do Grupo de Pesquisa Mídia, Religião e Cultura - MIRE - (PPGCOM UMESP).

Malena Segura Contrera

  • Vice-líder do Grupo de Pesquisa Centro Interdisciplinar de Semiótica da Cultura e da Mídia, do PEPGCOS/PUC-SP.
  • Articuladora no PPGCOM UNIP da parceria com o GP Imaginalis - PPGCOM UFRGS, com Ana Taís Portanova Barros.

Mauricio Ribeiro da Silva

  • Coordenador do GT Comunicação e Cultura do Encontro Anual da COMPÓS (2014 / 2016 / 2017).
  • Membro do Conselho de Coordenadores da COMPÓS e do Fórum de Programas de Pós-Graduação em Comunicação do Estado de São Paulo.
  • Membro do Grupo de Pesquisa Centro Interdisciplinar de Semiótica da Cultura e da Mídia (PUC-SP)

Paolo Demuru

  • Membro do Grupo de Pesquisa Centro de Pesquisas Sociossemióticas (PUC-SP).

Simone Luci Pereira

  • Coordenadora do Grupo de Pesquisa "Comunicação e Culturas Urbanas" da INTERCOM.
  • Pesquisadora integrante do Grupo de Pesquisa, do PPGCOM ESPM - Grupo de Pesquisa “JUVENALIA - Comunicação, Imagem, Política e Juventude”.

Solange Wajnman

  • Membro do Comitê Científico do Colóquio de Moda, desde a sua fundação, e coordenadora do GT Moda, Comunicação e Cultura.
  • Membro do Centro de Estudos de Telenovela da USP (CETVN/USP) e ex-integrante do OBITEL (Observatório Ibero-americano de Ficção Televisiva).

Intercâmbios Internacionais

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação, visando ao fortalecimento de suas pesquisas, tem trabalhado no sentido de estabelecer parcerias com instituições e pesquisadores internacionais, compreendendo que esta ação é consequência do fortalecimento das Linhas de Pesquisa e da formalização dos convênios interinstitucionais. Neste contexto, destacamos as seguintes ações:

Antônio Adami

  • Professor visitante da Universidade Complutense de Madrid (Espanha); faz parte do quadro docente do Programa de Doutorado em Periodismo por meio do convênio estabelecido entre os Grupos de Pesquisa “Mídia, Cultura e Memória” (UNIP) e “MEDIACOM” (UCM).
  • Coorientador de tese de Doutorado na Universidade do Minho, em Braga, Portugal, juntamente com Madalena Oliveira. Aluna: Tereza Costa Alves, do curso de Comunicação Social. Tese: Os sons da Lusofonia - Contextos multiculturais do serviço público de rádio em Portugal e no Brasil.

Jorge Miklos

  • Professor visitante na ECOSUR (El Colegio de La Frontera Sur), universidade mexicana localizada em San Cristóbal de Las Casas, Chiapas, desenvolvendo as seguintes atividades: (1) minicurso sobre Ecologia da Comunicação; (2) participação em Seminário Avançado (doutorado) sobre Epistemologias da Interculturalidade e Diversidade, no Programa de Doutorado em Ecologia e Desenvolvimento; (3) apresentação de trabalho em evento científico denominado “Ecologia de la Comunicación y Devenir”.

Malena Segura Contrera

  • Participação, a convite do Prof. Manuel de la Fuente, da Universidade de Valência, em atividades do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação daquela universidade.

Simone Luci Pereira

  • Em continuidade à parceria estabelecida desde 2013 com as organizadoras do Grupo de Trabalho "Música e Migração" (como parte do X Congresso Alemão de Lusitanistas na Universidade de Hamburgo - Alemanha), participou da elaboração da proposta de projeto de pesquisa conjunto entre Brasil e Alemanha (Universidade de São Paulo e Universidade de Munique), com Christina Märzhäuser (Universidade de Munique), sobre mídias, migrações, interculturalidade, música popular e identidades.
  • Participação em livro-coletânea, organizado por Christina Märzhäuser, sobre música lusófona, migrações e identidades, lançado em 2015 na Alemanha, como fruto dos trabalhos do GT Música e Migração.

Auxílios Recebidos

Projeto: Uma vereda tropical: a suave e morna batida do bolero: memória e nomadismo da canção hispânica no Brasil
Professor Responsável: Heloísa de Araújo Duarte Valente
Órgão de Fomento: CNPq - Bolsa produtividade em pesquisa PQ
Processo: 303872/2013
Vigência: mar./2017 a fev./2020

Projeto: A ação de padrões miméticos na constituição de processos de teleparticipação na mídia eletrônica
Professor Responsável: Malena Segura Contrera
Órgão de Fomento: CNPq - Bolsa produtividade em pesquisa PQ
Processo: 305257/2013
Vigência: mar./2017 a mar./2020

Evento: 13° Encontro Internacional de Música e Mídia
Professor Responsável: Heloísa de Araújo Duarte Valente
Órgão de Fomento: FAPESP
Processo: 2017/09039-8
Vigência: 13/09/17 a 15/09/17

Auxílio-Publicação: Com som. Sem som.... Liberdades políticas, liberdades poéticas
Professor Responsável: Heloísa de Araújo Duarte Valente
Órgão de Fomento: FAPESP
Processo: 2015/21852-0
Vigência: mar./16 a mar./17